AIJ lança Plano de Trabalho para Área de Infância e Juventude

 
A Área de Infância e Juventude (AIJ) do Conselho Federativo do Estado de Minas Gerais (COFEMG) lança para todo o Movimento Espírita o Plano de Trabalho para a Área de Infância e Juventude. A apostila traz propostas, informações e planejamentos de ações para serem adotadas visando a assertividade na ação evangelizadora espírita, contemplando não só a criança e o jovem na Casa Espírita, mas, também, a formação do evangelizador.
 
O Plano de Trabalho é fruto de uma ação conjunta entre os representantes da Área da Infância e Juventude dos Conselhos Regionais Espíritas (CREs), através de reflexões, diálogos e troca de experiências, ocorridos nas reuniões do COFEMG e Comissões Regionais, entre 2014 e 2016. Ele foi construído em atendimento aos fundamentos do Projeto Uniação (2014), ao plano de trabalho do Movimento Espírita brasileiro (2012-2017), às diretrizes do plano de trabalho da Área de Infância e Juventude do Movimento Espírita brasileiro (2013-2017), e às Orientações para a Ação Evangelizadora Espírita da Infância e Juventude: subsídios e diretrizes (2016).
 
De acordo com a AIJ-COFEMG, para a execução do Plano de Trabalho é necessário planejar todos os passos e disciplina em seu cumprimento, pois o documento auxiliará na identificação e separação das etapas de elaboração e de execução, obtendo um estudo mais detalhado de todas as ações necessárias para alcançar as qualidades com a tarefa evangelizadora.
 
 
DIRETRIZES DE TRABALHO
 
Um Plano de Trabalho é uma proposta que consolida todas as informações sobre atividades para atingir determinado objetivo, bem como os recursos necessários despendidos. Essa ferramenta permite que todas as decisões sejam tomadas antes mesmo de colocadas em prática, garantindo assertividade e correção prévia de eventuais problemas, além de assegurar os registros necessários para futuros planejamentos.
 
No caso do Plano de Trabalho para a Área de Infância e Juventude, foram definidos alguns princípios que irão pautar as ações e serão a referência de todo o trabalho junto às crianças, jovens e demais envolvidos nas ações de Evangelização. A saber:
 
- A preocupação com a formação e o caráter educativo da ação evangelizadora espírita, de modo a promover continuamente o estudo, a prática e a difusão da Doutrina Espírita junto à criança e o jovem com vistas à vivência dos ensinamentos de Jesus e à formação do Homem de Bem;
 
- A concepção da criança e do jovem como Espírito imortal, reencarnado em um contexto sócio-histórico-cultural, e com potencialidades e necessidades em fase de aperfeiçoamento, e como protagonista em seu processo de desenvolvimento moral e aprimoramento espiritual;
 
- A busca pela qualidade crescente da tarefa da Evangelização Espírita, contemplando o aprimoramento doutrinário, relacional, pedagógico e organizacional;
 
- A necessidade de fortalecer a participação das crianças e dos jovens e suas integrações nas atividades do Centro Espírita e do Movimento Espírita;
 
- A organização de eixos estruturantes e integradores de todas as ações junto às crianças, contemplando: conhecimento doutrinário, aprimoramento moral e transformação social;
 
- A concepção de evangelizador como espírito comprometido com seu aprimoramento moral, com sua formação continuada e com a qualidade da tarefa de evangelização;
 
- O papel do evangelizador, com destaque à sua constante preparação e estudo, bem como ao seu perfil de liderança, dinamismo, integração, afetividade, criatividade, dedicação, comunicação, disciplina, flexibilidade, compromisso e exemplificação.
 
Para saber mais e fazer o download da Apostila, clique aqui.