Diálogo com os Espíritos

Versão para impressãoVersão para impressão
Arquivo(s) para Download: 
AnexoTamanho
dialogo_com_os_espiritos_jan2017.pdf1016.46 KB

O verbo comunicar vem do latim, communicare, que pode ser entendido por: tornar comum, partilhar, transmitir, divulgar. A comunicação é a capacidade de trocar ou discutir idéias, de dialogar com vistas ao bom entendimento entre pessoas.

A palavra é o veículo do pensamento, a materialização das idéias e dos sentimentos. Entre eles, o pensamento tem uma ascendência sobre a palavra, constituindo, nessa ordem, causa e efeito. Nesse sentido, o Espírito, que é o ser principal, já que é o ser pensante, age sobre a matéria dando-lhe inteligência e sentimento. Admitir a existência da alma, bem como sua sobrevivência à morte do corpo e a conservação da sua individualidade, torna patente a comunicação com os Espíritos. E por que assim não seria? Se o Espírito agia sobre a matéria durante sua encarnação, por que não poderia, entrando em acordo com um outro Espírito ligado a um corpo vivo, utilizá-lo para exteriorizar sua condição de ventura ou de desventura, - (...) do mesmo modo que um mudo pode servir -se de uma pessoa que fale, para se fazer compreendido."²

Não é racional e sensato pensar que - (...) um ente que nos amou durante a vida se acerque de nós, deseje comunicar-se conosco e se sirva, para isso, dos meios de que disponha.?"³

Após legitimar e categorizar o intercâmbio mediúnico como um fenômeno natural, Kardec inicia uma série de diálogos com os Espíritos, entregando-nos algo rico e precioso: a Codificação Espírita. O médium, ser sensível, agora compreendido como sendo o intérprete dos Espíritos, vem proporcionando o enriquecimento das nossas experiências e o consolo aos nossos corações pelas orientações veiculadas, além de nos possibilitarem a alegria de conversarmos com o mundo espiritual, seja para nosso aprendizado ou para auxiliar aqueles que se encontram em dificuldades. Entretanto, para o êxito dessas atividades é imprescindível adotarmos alguns critérios, sem os quais corremos sérios riscos de tornarmos vulgares práticas que requerem, como todo trabalho sério, responsabilidade e recolhimento. Sendo assim, além do conhecimento prévio da natureza e da identidade dos Espíritos, é imprescindível conhecer os diversos tipos de Espíritos Comunicantes e saber conduzir o diálogo com eles. Contudo, antes de tratarmos propriamente o tema em questão, Diálogo com os Espíritos, apresentaremos alguns pontos relacionados ao grupo mediúnico - apesar de haver outros estudos já desenvolvidos acerca do tópico em questão nas apostilas - Médium de Sustentação" e - O Dirigente de Reuniões Mediúnicas", publicados pela União Espírita Mineira.