Leopoldo Machado

Versão para impressãoVersão para impressão

 

Leopoldo Machado de Souza Barbosa nasceu em 30 de setembro de 1891 em Arraial de Cepa Forte (hoje Jandaíra), Estado da Bahia. Filho de Eulélio de Souza Barbosa e Ana Isabel Machado Barbosa, foi jornalista, professor, escritor, poeta, compositor e palestrante, difundindo o Espiritismo e conquistando até mesmo o respeito de adversários da Doutrina.

Leopoldo conheceu a Doutrina dos Espíritos em torno de 1915 por meio de José Petitinga. Em 1927, casou-se com Marília Ferraz de Almeida e, juntos, dois anos depois, mudaram-se para Nova Iguaçu (RJ). Lá, integraram a equipe de trabalhadores do Centro Espírita Fé, Esperança e Caridade, participando ativamente da construção do Albergue Noturno Allan Kardec e do Lar de Jesus.

Junto de sua esposa, em 1930, consagrou-se como educador na cidade, inaugurando o Colégio Leopoldo, hoje tradicional estabelecimento de ensino, que contou com a colaboração de sua cunhada Leopoldina Barros e do Almirante Paim Pamplona, Ex-Presidente da Federação Espírita Brasileira (FEB).

Leopoldo participou da organização de diversos eventos, como: I Congresso Brasileiro de Jornalistas e Escritores Espíritas, em 1939, sob a coordenação de Deolindo Amorim; I Congresso de Mocidades Espíritas do Brasil, de 17 a 23 de julho de 1948; idealizou o Congresso Brasileiro de Unificação, realizado na capital paulista, de 31 de outubro a 5 de novembro de 1948. No ano seguinte, era convocado ao II Congresso Pan-Americano, realizado no Rio de Janeiro, e também ao Pacto Áureo.

A respeito deste importante momento, os escritores Antônio de Souza Lucena e Paulo Alves Godoy relatam no livro “Personagens do Espiritismo”: “Percebendo a importância desses encontros, para a grandeza da Doutrina Espírita no futuro, dentro de suas possibilidades, esteve sempre presente ajudando de alguma maneira. Os mesmos espíritos que inspiravam o Pacto Áureo inspiraram a ‘Caravana da Fraternidade’, na qual tomaram parte: Leopoldo Machado, Lins de Vasconcelos, Carlos Jordão da Silva, Francisco Spinelli, Ary Casadio e Luiz Burgos Filho, cuja Caravana foi o coroamento do Pacto Áureo, o incentivo unificador na formação do Conselho Federativo Nacional, sob os auspícios da Federação Espírita Brasileira. Ao regresso da ‘Caravana da Fraternidade’, o êxito absoluto, com a adesão dos Estados do Norte e Nordeste do País à unificação do Espiritismo em todo o território nacional. Leopoldo realizou, também, a Primeira Festa Nacional do Livro Espírita, em homenagem ao ‘18 de Abril’, data magna de lançamento de O Livro dos Espíritos, cuja festa tornou-se hábito em todo o Brasil nas comemorações ao ‘Dia do Livro’. Criou o Conselho Consultivo de Mocidades Espíritas, na sede da antiga Liga Espírita do Distrito Federal.”

 

DESENCARNE E BIBLIOGRAFIA

Leopoldo Machado desencarnou em Nova Iguaçu (RJ) no dia 22 de agosto de 1957, deixando um legado para o movimento espírita e também para a cultura.

As novas gerações receberam as generosas contribuições dele, que incentivou na criação das Mocidades Espíritas e das Escolas Espíritas de Evangelização para Infância, impulsionando, ainda, a organização de eventos espíritas em todo o país. Percorrendo todo o Brasil, exaltou o Evangelho de Jesus e a Doutrina dos Espíritos, como sendo a volta do Cristianismo redivivo, no seu sentido mais puro, como era pregado na Casa do Caminho, logo após o sacrifício de Jesus.

De sua bibliografia constam os seguintes livros: “Meus últimos Versos”, “Saudades”; “Ideias e Iluminação”; “Prosa de Caliban”; “Consciência”; “Doutrina Inglória”, “Julga, Leitor, por ti mesmo”, “Sensacional Polêmica”, “Pigmeus contra Gigantes” e “Guerra ao Farisaísmo”; “Para o Alto”, “Natal dos Cristãos Novos”, “Graças sobre Graças”, “Caravana da Fraternidade” e “Ide e Pregai”; “Teatro Espiritualista” (1ª e 2ª séries); “Teatro da Mocidade”; “Uma Grande Vida” e “Caxias, eminente iguaçuano” (biografias); “Cientismo e Espiritismo”; “Cruzada de Espiritismo de Vivos” e “Observações e Sugestões”; “O Espiritismo é Obra de Educação”; “Das responsabilidades maiores dos Espíritas no Brasil”; “Para a Frente e para o Alto”; “Nada lhe é no momento maior”, e “Brasil berço da Humanidade”.

Leopoldo é, também, autor da "Canção da Alegria Cristã", de parceria com Oli de Castro, e compôs inúmeras outras melodias para a mocidade e a evangelização infanto-juvenil.

 

Fontes:

- LUCENA, Antônio de Souza; GODOY, Paulo Alves, Personagens do Espiritismo, Edições FEESP;

- Site da Fundação Espírita André Luiz (FEAL);

- Site da FEB Editora.